Vasco empata e passa para a próxima fase da Copa do Brasil

Facebooktwitterpinterest

Temos que começar falando para a torcida do Vasco relaxar e respirar aliviada e parabenizar à  do Boavista pela postura e luta do time.

Assim foi a tarde em São Januário, na partida de volta da Copa do Brasil. Aliás, vamos começar por mais um momento diferente, nesta época tão diferente. Não me lembro de ter estado no estádio, no meio da semana e às 16h30, mas como tudo está meio estranho, segue o jogo. Junto a isso, olhei para um lado e depois para o outro da arquibancada e, por lá, só eu de repórter mulher. Temos muito o que caminhar, mas faz parte.

Altos e Baixos do Jogo

Sobre o jogo, tivemos vários momentos distintos e inusitados. O início foi bem movimentado e com bons lances. Isso ficou claro, também, nos tweets do jogo, onde os torcedores estavam satisfeitos com o rendimento dos times. Os vascaínos, inclusive, mencionaram o bom desempenho comparado a jogos anteriores.

Só que de repente, assim como a temperatura despencou, o jogo também desceu ladeira abaixo. Foi uma série de passes errados, lançamentos mal feitos e chutes quase chegando na arquibancada ou na piscina, mas o som do jogo insistia no famoso uhhhhhhhhhhhhh da torcida em lances perigosos. Na realidade, se a torcida estivesse presente seria mais para ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh somado a outras palavras não tão educadas.

Com VAR ou sem VAR

No segundo tempo, o Boavista abriu o placar em um chutaço de Michel Douglas. Ai, o Vasco piorou. Se a coisa já estava esquisita, os erros só aumentaram. Foi quando surgiu a oportunidade e o Vasco marcou, mas calma que não foi tão simples.  (fotos Celso Pupo)

A reclamação – quase desesperada – do time do Boavista em cima do Bandeirinha e do árbitro principal foi grande. Muita confusão e pedidos de anulação do gol, mas não tem VAR. E sem VAR, quantas vezes vocês já viram um gol ser anulado? Mas foi. Já surgiram na internet fotos de gente com celular na mão, mostrando que o gol tinha sido irregular.

Em um momento o juiz mais parecia uma ilha, cercada de jogadores para todos os lados.

Vários minutos de marca, não marca, anula, não anula. Isso rendeu uns 9 minutos de acréscimo depois dos 45’.  Enquanto isso, a música-torcida alta, muito alta, no meio da confusão. O pessoal precisa rever essa dinâmica.

Resultado é que o juiz anulou o gol. Mas não é que o Vasco acordou? Bateu uma raiva no time e começaram a atacar bem mais do que tinham feito antes e resultou do gol de Cano, que tem salvado o time várias vezes e essa foi mais uma. Novamente, no Twitter, o print da tela da tv mostrava a comemoração de Cano na frente do Bandeirinha.

Tempo passando, desespero dos dois lados, mas ficou nisso. Resultado final com um gol de cada lado, e como o jogo de ida tinha sido Vasco 1 x 0 Boavista, o cruzmaltino passa adiante.

 

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *