Termina o Estadual de Basquete com histórias de superação e a 15ª vitória Rubro-Negra

Facebooktwitterpinterest

Acabou no domingo, dia 4 de outubro, o Campeonato Estadual de Basquete 2020, promovido pela FBERJ (Federação de Basquetebol do Estado do Rio de Janeiro), com formato diferente dos anteriores, histórias dos bastidores e superação, sem público nas arquibancadas do Maracanãzinho e dias de calor infernal, mas com o mesmo campeão: Flamengo.

Atitude, Municipal, Tijuca, Niterói e Flamengo jogaram durante uma semana – de 28 de setembro a 4 de outubro -, quase todos os dias, em horários que variaram de 18h às 20h, com as disputas finais no período da tarde. Foi estranho ver as arquibancadas vazias, conseguir manter a distância dos atletas – já que dentro de quadra não era permitida a permanência da imprensa, por causa dos protocolos – além de máscaras para todos e controle de temperatura na entrada do ginásio.

Os Protocolos

Na chegada, com entrada pelo portão 6, na Rua Eurico Rabelo, os caminhos para a quadra se dividiam, com sinalização de imprensa para um lado e atletas para o outro. Quem cobre basquete sabe que um diferencial muito interessante é poder assistir aos jogos, literalmente, ao lado dos times. Só que agora era tudo diferente, mas nem por isso faltou a emoção. A nossa pequena bolha do basquete carioca, por uma semana.

A FBERJ organizou os protocolos, em conjunto com o Flamengo, em função da Covid-19, tendo um Hospital como patrocinador master da competição – Hospital Geral do Ingá. Foi lá, em Niterói, que a última bateria de testes para o novo coronavirus foi feita, com todos os atletas, comissões e um grupo de 15 jornalistas (todos com resultados negativos). Em duas ocasiões diferentes, fizemos os testes no Tijuca Tênis Clube.

As entrevistas eram feitas através de uma plataforma digital, com perguntas enviadas aos atletas e técnicos, que eram respondidas em vídeo, compartilhadas no grupo do Whatsapp, criado pela FBERJ. Na pergunta, era mencionado o nome do repórter e do veículo.

O inusitado ficou por conta do calor infernal que fez em, pelo menos, quatro dias e com o ar condicionado desligado. Segundo as informações do Maracanã, foi exigência da Vigilância Sanitária para que os jogos acontecessem lá. Sofremos e imaginem os atletas…

O Torneio

Durante uma semana, o Maracanãzinho recebeu os cinco times, todos jogando entre si e cada um com uma história diferente. O Flamengo, atual Campeão – e 15 vezes Campeão Estadual -, tinha um time sólido, treinado e acostumado a competições internacionais.

Mas isso não fez com que a atitude em campo fosse de quem sabia que ia ganhar. Respeito e jogando sério, ele venceu todas as partidas com um placar muito elástico, quase todos fechando acima dos 100 pontos. Foi uma boa oportunidade para que os jovens atletas do time do Flamengo pudessem ter chance de jogar. O técnico Gustavo Conti falou ao FimdeJogo que a situação era diferente e fica difícil avaliar com exatidão o rendimento dos jovens, mas a oportunidade foi ótima e uma experiência valiosa pra eles. (fotos Celso Pupo)

Histórias de Superação

Quem via o time do Atitude tinha dúvidas sobre a resistência do time para conseguir passar pelos adversário, mas a vitória deles foi obtida ao poder participar do Estadual. O CDA é um projeto social (Instituto Técnico Desportivo Atitude), que usa o esporte e o basquete para fazer a parte dele no desenvolvimento de crianças nas categorias de base, que não teriam facilidade em se desenvolver em um esporte. Por isso, que são vitoriosos no momento que pisaram na quadra do Maracanãzinho.

Nas Finais

  • Primeiro lugar – Flamengo
  • Segundo lugar – Tijuca
  • Terceiro lugar – Niterói

Vejam os momentos da premiação. Vários registros dos jogos, flashes e bastidores foram acompanhados nas redes sociais do Fimdejogo, também no Twitter (@fimdejogo) e Instagram (@blogfimdejogo)

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *