Taça Rio: Fluminense 5 x 1 Madureira

Facebooktwitterpinterest

Um primeiro tempo começou com o Madureira melhor e o Fluminense com quatro impedimentos seguidos, que chamou a atenção. Com isso, o Madureira abriu o placar com Catatau e já viu o que teve de imagem no Twitter.

O Fluminense foi melhorando, com uma certa pressão e algumas vaias dos torcedores.  Depois do empate com Evanilson, o tricolor virou o placar ainda no primeiro tempo, marcando mais dois gols – sendo mais um de Evanilson e outro do Marcos Paulo.

Ainda foram mais dois gols no segundo tempo, de novo com Marcos Paulo, e Hudson. O problema é a preocupação que o Fluminense vem gerando nos torcedores saindo com frequência atrás no placar.

A primeira reação é pedir a cabeça do técnico, reclamar de todo mundo e com razão. Nas redes muito questionamento sobre o esquema tático adotado. Os torcedores estão precisando de uma pouco de tranquilidade. (Fotos de jogo, Celso Pupo)

Evanilson faz seu segundo gol durante Fluminense x Madureira
Goleiro Douglas e Digão

Público e Renda

Um dos piores dos últimos jogos no Maracanã. Eram três e meia da tarde quando havia sido registrada a entrada de 700 torcedores. Depois melhorou um pouco mas não foi bom.

Foram 7.112 presentes, 6.640 pagantes e renda de r$ 170.019,00.

Chuva na Cidade

O temporal que caiu no sábado à noite deixou o pessoal preocupado, somado a algumas atuações que não animaram muito resultou em um público muito reduzido no Maracanã.

As três bilheterias – 1, 2 e 3 – estava abertas para atendimento dos torcedores, mas pouca gente por lá.  A chuva ia e vinha, assim como o vento que volta e meia vinha com rajadas e – como já falamos – guarda-chuva, vento, celular tudo junto é complicado. Mas, na verdade, a principal questão que recebemos foi a confirmação do jogo no Maracanã, em função de vários pontos de alagamento pela cidade.

No Maracanã, nem o Rio Joana nem o Rio Maracanã transbordaram e isso alivia bastante os arredores, sem grandes transtornos.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *