Sul-Americana: Botafogo empata com o Patronato e está nas oitavas

Facebooktwitterpinterest

Apesar do placar ter sido bem confortável e, no fundo, não ter ameaçado nada a ida do Botafogo para as oitavas, rolou um pouco de tensão no final da partida. Talvez pelo que os botafoguenses venham acompanhando do rendimento do time no Brasileirão. Mas vale destacar a jogdaçã de  Luis Henrique no primeiro gol. (fotos Celso Pupo/DC Press)

O Botafogo estava bem e tinha uma boa vantagem no placar. Parecia ter o jogo controlado e mostrava ser superior ao Patronato tecnicamente,  só que nos minutos finais, o Patronato parece que pisou no acelerador e assustou um pouco. Talvez achar que poderia resolver a qualquer momento, se fosse necessário… pode ter atrapalhado o rendimento nos minutos finais. Gatito voltou muito bem, fazendo ótimas defesas e a bola na trave no segundo tempo de Janderson poderia ter dado mais tranquilidade.

Uma parte da torcida gostou, porque não viu motivos de preocupação, já que era a estreia de Bruno Lage. Outra ficou um pouco apreensiva. Na coletiva, o novo técnico do Botafogo falou que é o momento de conhecer o grupo e que nos pouquíssimos dias observou que a palavra mais falada no grupo era trabalho. O que é preciso é esperar as próximas partidas.

 

Público e renda

Noite fria, chuva e horário não animaram muito os torcedores. Tivemos o setor Leste Superior e a Inferior bem cheios, mas só um dos lados do Oeste com parte utilizada e Inferior vazia. Norte fechada.

Ao todo foram: 20.509 presentes, 18.084 pagantes e renda de R$ 693.782,50

Pré-jogo com frio e chuva

Cariocas não gostam de dias nublados e 20 graus é quase neve. Mas não custa lembrar que 30°, pra nós, nem é calor, é só um pré-verão. Imagina então uma chuva, vento e frio ao mesmo tempo em dia de jogo que os torcedores não podem nem trazer guarda-chuva? Alguns pais tiveram um trabalho para colocar capa na criançada, mas tudo se acertou.

Para esquentar valia de tudo, inclusive pra nós que aproveitamos a chegada com antecedência para um café com leite e pão na chapa quentinhos em uma padaria na Rua das Oficinas. Os torcedores foram chegando, mas o horário de sete da noite em uma quarta-feira não foi simples. A vantagem, pelo menos, é que com esse tempo o melhor foi poder chegar mais cedo em casa e fugir do vento gelado que estava do lado de fora.

 

 

Participaram da cobertura – jornalistas Cris Dissat e Oliver Moraes (integrante do Projeto Educacional do FimdeJogo/DC Press e a Universidade Veiga de Almeida) e fotógrafo Celso Pupo.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *