Prêmio Brasil Olímpico e Novos Olhares

Facebooktwitterpinterest

Foi uma sexta-feira diferente. Mas não falo só pela noite especial da entrega do Prêmio Brasil Olímpico, mas pelo que vimos e comparamos com a edição anterior. Por causa da pandemia, a edição 2022 acabou acontecendo no início deste ano, ou seja, foram duas cerimônias dentro do mesmo ano, mas no mesmo espaço – a Cidade das Artes.

Na edição anterior foi de muitas surpresas porque a sensação era de voltar no tempo, onde os celulares eram minoria e praticamente só se viam as grandes câmeras das emissoras. Mas parece que o cenário mudou de vez porque observamos um número maior de celulares, talvez independentes ou influenciadores, ou até das emissoras que estão se rendendo a potência destes pequenos grandes equipamentos.  (fotos Celso Pupo/DC Press)

A cerimônia

Antes do início oficial, a gente circula, passa pelo tapete vermelho atrás de conversas interessantes, entrevistas e um clique. Um deles foi a conversa com Rebeca Andrade para saber como tinha sido a experiência em Santiago, durante o Pan 2023.  É impressionante a atenção que ela dá a todas – literamente – as perguntas. Responde com detalhes, inclui informações e sempre com um sorriso. Rebeca foi uma das embaixadoras da Panam, durante os jogos.

 

A entrega das premiações, no auditório da Cidade das Artes, é bem objetiva. Além deste ponto positivo, internet liberada para publicações, o que combina bem com a estratégia de novos espaços liberados. O auditório sempre foi problemático em relação a sinal para transmissão e dessa vez, zero problema.

Poucas piadas dos apresentadores (mais um item positivo) e entrega ágil e dinâmica, incluindo o momento da entrada de todos os atletas presentes.

 

A principal premiação da noite foi o Troféu Rei Pelé, nome que passou a ser dado neste ano ao melhor atleta de cada gênero. No masculino, o eleito foi Marcus D’Almeida, do tiro com arco. Já no feminino, mais uma vez quem ganhou foi a ginasta Rebeca Andrade, vencedora pelo terceiro ano consecutivo.

Emoção na homenagem a jogadora de Volei, Wal, e também a alegria de Flavia Saraiva, que recebeu o Prêmio de Atleta da Torcida. E de olho nos bastidores, na saída do auditório, ainda registramos o momento de Lucas Verthein que recebeu o Prêmio de Melhor Atleta de Remo.

 

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *