NBB: Maracanãzinho revive clima de grandes jogos

Facebooktwitterpinterest

Sem dúvida, o destaque da partida fica por conta do ótimo público presente ao Maracanãzinho. Há tempos não víamos as arquibancadas assim para jogos de basquete. Uma promoção durante o jogo de vôlei feminino e  uma divulgação melhor parece terem dado bom resultado, fora o apelo pelo clássico entre Flamengo x Vasco.

Um jogão, equilibrado e vitória do Flamengo por 84 a 79.

Ótimo público

Depois de passarmos por fila na bilheteria 2 e um ótimo movimento de entrada dos torcedores, vimos que foi preciso abrir mais espaço nas arquibancadas, onde o pessoal continuava entrando com 20 minutos de início de jogo.

Assim como comentamos sobre o estilo da torcida dos jogos de vôlei, vale o comentário também no basquete. Parece que o basquete fica no meio entre o estilo do futebol e do vôlei. Tivemos muitas organizadas presentes, com várias faixas e bandeiras. Lembrando que em jogos da NBB é torcida única.

Olivinha estava de volta os jogos e vibrou em momentos que empatou a partida, e puxando o time do Flamengo para uma melhora no placar. Já o reencontro com Marquinhos era previsível uma reação emocional do pessoal. Depois de ter atuado muito tempo no rubro-negro, jogou no São Paulo e veio para o Vasco. Nos lances livres e várias jogadas as vaias para o jogador, sem falar até em bandeira na arquibancada. Mais calma gente, essas coisas acontecem. (fotos Celso Pupo/DC Press)

O jogo

Até boa parte do segundo quarto, o Vasco se manteve na frente, com um aproveitamento melhor de lances livres, algumas cestas de três. Já o Flamengo mudou um pouco a tática nos dois primeiros quartos com muito mais bolas de dois pontos do que normalmente faz nos jogos, onde a tentativa de três é muito maior.

 

No final do segundo quarto, depois de um desperdício de uma bola de três, o Flamengo acertou e passou o Vasco no placar, fechando em 41 x 36. O jogo seguiu com o placar se alternando entre os dois, até que o Flamengo passou na frente e os 20 segundos finais foram da sequência clássica entre falta, tempo, substituição, pressão, falta, tempo e assim foi até zerar o cronômetro.

Vale comentar a grande evolução do Vasco com o trabalho do técnico Léo Figueiró e comemoração de Gustavo De Conti que atingiu 499 jogos no comando do Flamengo e sendo o técnico com mais partidas na história do NBB.

 

 

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *