Flamengo vence o Corinthians no Maracanã por 2 a 1

Facebooktwitterpinterest

Todos nós sabemos bem como é a pressão em campo, com a Torcida do Flamengo no Maracanã. Nos minutos finais, então, a temperatura sobe ainda mais. Mas hoje, mesmo com o estádio vazio deu para sentir a pressão do jogo, a partir dos gritos tanto de jogadores, quanto comissões e banco de reserva.

Dava para ouvir de tudo, até quando lá da Tribuna de Imprensa falaram que o pênalti havia sido marcado para o Vasco.

Pelo que acompanhamos, ao longo das várias tentativas e erros, deixar o áudio do jogo foi  uma boa opção, porque com a música-torcida contínua não existe “clima” do jogo. Não dá para avaliar os pedidos dos técnicos e até da pressão das comissões técnicas e membros dos clubes que ficam no setor do Maracanã Mais.

Pressão e Vibração

Se em alguns jogos dava para observar que não havia tanta entrega como em 2019, no jogo de hoje foi diferente. Gritos para o Bruno Henrique seguir, aplausos para um chute pra fora de Pedro, a vibração de Gabigol e de todo o time junto com o Rogério Ceni e até as orientações de Diego no meio de campo, quase distribuindo as jogadas. Sem falar que devem ter ligado o Michael na tomada quando entrou já aos 44 minutos.

 

Foi um time correndo atrás e se as arquibancadas estivessem cheias, com certeza seria um domingo de muita festa.

Antes do jogo, Arrascaeta e Gabigol receberam camisas pelos 100 jogos no Flamengo. Os gols foram de William Arão e Gabigol, pelo Flamengo, e Leonardo Natel, do Corinthians.

 

 

Um Clima Eterno do Maracanã

Um dia lindo de sol, temperatura alta, mas nem tanto, e um jogo no Maracanã. Como a gente gosta dessa combinação. A música pré-jogo dava um clima e deu um aperto danado no coração, olhando para as arquibancadas vazias. Uma mistura de sentimentos, onde temos a consciência que ainda não dá pra voltar e a vontade de ver a festa de novo dos torcedores.

Tentamos sempre levar o clima para os torcedores, com vídeos entrando no estádio e as fotos de como estão montadas as arquibancadas. Mas estar lá dentro sem a torcida é também um angústia e uma sensação muito dura. Precisamos só pensar que vai passar e estaremos juntos de novo.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *