Flamengo, Bragantino e os golaços de sábado à noite

Facebooktwitterpinterest

Assim como a ausência da música-torcida consegue deixar a gente sentir o clima do jogo, a falta de tempo para produzir o texto durante o jogo é sinal que foi muito movimentado.

E foi mesmo, tanto o primeiro quanto o segundo tempo. Com cinco gols, sendo dois de Rodrigo Muniz pelo Flamengo, e três para o Bragantino, com Aderlan, Ramires e Chrigor. (fotos Celso Pupo)

A gente sabe que ninguém quer perder, mas é preciso olhar o jogo com um pouco de distanciamento e foi um jogão. O Bragantino abriu o placar e no final aproveitou a distração do Flamengo, que pressionava atrás do terceiro. E antes do lance era o banco do Bragantino que pedia o fim da partida.

O golaço, por mais que Aderlan tenha assumido que foi “sem querer”, abriu o placar no Maracanã. E outro golaço viria com Rodrigo Muniz. E que comemoração do time todo.

 

Foi muita correria, troca de passes e gritaria entre os jogadores, mas isso é melhor do que se vier das arquibancadas. Algumas conversas mais alteradas, como a do Vitinho e Gerson com o bandeirinha, não atrapalharam, mas mostravam que os jogadores estavam bem envolvidos. Em outro lance, Vitinho olhou pro Bandeirinha questionando: Isso não foi falta não? Não foi?”. Mas a arbitragem, de uma forma geral, controlou bem a partida.

O Flamengo teve muitas finalizações, mas não conseguiu e precisa entender que deve ter atenção até o juiz apitar. Nem vamos usar a máxima do futebol, que vocês já estão cansados de saber.

Lembrando que o time rubro-negro estava sem Gabigol, Evérton, Pedro, Arrascaeta. Hoje foi dia de recordar muitos ditados que minha mãe dizia. E um deles, foi perfeito para um dos lances onde, depois de exagerar várias vezes em falta, na hora que a falta for verdade, vai ser difícil de convencer.

A Foto da Falta

Como tem sido falado muitas vezes, o Flamengo anda devendo um gol de falta e hoje, mais uma vez, os fotógrafos ficaram esperando para ver se o clique ia sair, mas ainda não foi dessa vez.

Lembranças e Saudade

Alguns momentos, na internet chamamos de “gatilho” e hoje tivemos alguns, principalmente porque estamos acompanhando os jogos da Eurocopa e olhando os estádios como estão lá e como isso ainda está distante de nós. A entrada pelo corredor do Maracanã ou ver uma das bolas ir parar na arquibancada, perto de nós, foram alguns desses instantes que enchem a gente de saudade e também de revolta.

O minuto de silêncio de hoje passou uma sensação de tristeza, com mais de 500 mil pessoas que perdemos para a Covid-19.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *