Clássico sem Gols no Carioca 2024: Vasco x Flamengo

Facebooktwitterpinterest

Nada de gol, então é hora das arquibancadas receberem a melhor nota. Se em campo faltou a finalização, incluindo defesa de Leo Jardim em pênalti cobrado por Gabigol, depois dos 40 minutos, nas arquibancadas não faltou gás para cantarem muito o jogo inteiro.

 

Vascaínos e rubro-negros fizeram um bonito trabalho no Maracanã. A batalha dos cantos foi muito boa e eles é que merecem os parabéns no primeiro clássico do retorno no Carioca 2024.

Primeiro tempo foi um monte de faltas, o Vasco sem conseguir finalizar, mas melhorou no final dos 45 minutos, enquanto o Flamengo ameaçava bem mais, mas queria jogadas bonitas, dribles e não finalizava o suficiente. Uma tentativa de gol de Cebolinha, com Leo Jardim adiantado e outros uhhhhh, só que nada de gol na primeira etapa. (fotos de jogo, Celso Pupo/DC Press)

Público e renda

Na manhã do domingo a informação era de 58 mil ingressos vendidos, lembrando que o Maracanã tem setores mistos, que são o Leste, Oeste e Cativas. No total foram: 56.318 presentes, 54.120 pagantes e renda de R$ 2.763.174,50.

Chegada no entorno

O movimento no entorno começou cedo, mas em etapas. Eram quase quatro da tarde e já havia um vai e vem de torcedores de Vasco e Flamengo nas bilheterias e ruas. Em geral, os portões abrem logo depois que o trânsito é fechado e, neste domingo, começou às 16h.

O estacionamento da UERJ abriu e, por causa da chuva, não conseguimos checar as bilheterias no horário mais próximo do jogo.

Todos Chegaram

A chegada foi bem assim, primeiro chegou o ônibus do Vasco, depois o do Flamengo e depois, ocupando todos os espaços, ela: a chuva. Quer dizer, chuva não, foi um temporal que caiu faltando cerca de uma hora para o início do clássico. Não é a primeira vez que o pessoal lá de cima manda recado. Um dos clássicos pegamos chuva de granizo antes de entrar no Maracanã.

Muitos raios, trovões e as nuvens pesadas deixaram o céu muito escuro. O Cristo Redentor sumiu atrás de tanta água. Tentamos convencer o pessoal a entrar enquanto o temporal não caía, só que, como sempre, é difícil.

O que observamos é que o lado do gramado do setor Norte se formou várias poças com o volume de água que caiu. O mesmo não aconteceu do trecho do lado sul. Eram 18h35 quando a chuva deu uma parada, justamente alguns minutos depois do início do aquecimento de Vasco e Flamengo.

Desordem urbana

Sabemos que existe um grande planejamento para os jogos no Maracanã, mas vale pontuar alguns problemas, como a falta de guardas de trânsito na Rua Professor Manoel de Abreu e Rua São Franciso Xavier. É um trecho sensível no entorno e tem fechamentos importantes. Nesse local, não pode faltar policiamento nem guardas de trânsito. Tinham muito mais flanelinhas. Os motoristas paravam em local não permitido e, inclusive, um carro-reboque passou e seguiu em frente.

Em duas ruas, torcedores usaram os muros dos prédios para prender bandeiras e fazer churrasco. Sem nenhuma ação da CEOP. A dúvida é: tem fiscalização ou não tem fiscalização?

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *