Botafogo 0 x 2 Goiás em noite fria no Rio de Janeiro

Facebooktwitterpinterest

A temperatura foi caindo, caindo, caindo, chegando a 16ºgraus nos minutos finais. Em campo, a situação estava do mesmo jeito para o Botafogo que não conseguiu melhorar, nem render bem, nem fazer um gol. Apesar disso, a música-torcida continuava.

Do time, dois jogadores que merecem destaque no Botafogo. O goleiro Diego salvou pelo menos quatro vezes, com defesas que garantiram não ser um placar mais elástico. O outro é Chay, que parece ser um dos poucos que corre e tem vontade de ver mudanças.

Primeiro Tempo?

Ultimamente, os primeiros tempos dos jogos andam fazendo com que a gente não tenha o que escrever. Haja imaginação para as matérias ou é sair reclamando, e apontando os problemas que, vamos combinar, todo mundo sabe.

E como fica o sentimento do torcedor? Se larga de mão e não assiste mais nada, vão criticar, e se continua vendo, só se aborrece, o que também não é bom. Vida de torcedor não é fácil

Imagina hoje, nesta terça-feira de temperaturas bem baixas no Rio, não tinha como consolar o torcedor do Botafogo que estava acompanhando a partida com o Goiás. Primeiro tempo, dois gols do visitante, marcados por Rezende e Alef Manga. O jeito era respirar fundo e tomar uma bebida quente para esquentar essa noite.

Som e Faixas nas Arquibancadas

Sem torcida, observamos outros termômetros no estádio para entender o que deve estar passando pela cabeça do torcedor. Na verdade, pelo que temos acompanhado, a gente já sabe o que acontece. Hoje, no estádio Nilton Santos, só tinham seis faixas, sendo que uma estava de cabeça pra baixo e outra pedindo revisão dos Estatutos do Botafogo: Loucos (2), Fogoró e Botachopp.

Volume da música-torcida ficou maior no primeiro tempo, mas em um formato que oscila

Gramado

Voltamos ao estádio após a Copa América. Do alto, vimos trechos marcados e sem grama uniforme, mas não é muito diferente do que temos visto nos demais estádios. Será que ninguém vai conseguir acertar isso?

 

 

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *