Botafogo 0 x 2 Corinthians e o último jogo no Nilton Santos

Facebooktwitterpinterest

Chuvinha caindo sem parar desde as duas da tarde, deu um ar de inverno em pleno verão. Aliás, mais um elemento para confirmar o estranho Brasileirão de 2020 no final de dezembro.

E, todos nós, esperando a vacina para sonhar com 2021. Aliás, uma reflexão é que os jogos vão precisar de uma organização para o próximo ano. Muita coisa para refletir. A única coisa que, neste momento, o Botafogo não quer pensar é nos problemas que precisa resolver. Um deles ele tentou dar o passo hoje, mas não deu. Os botafoguenses vão passar a virada do ano preocupados. Mas não façam isso. Desliguem um pouco para se recuperar porque tudo tem sido difícil.

 

O Jogo

Um golzinho no primeiro tempo do Corinthians, com Cazares, e ficou nisso. Corinthians melhor em campo e o Botafogo até que não estava tão apático como em diversos jogos que acompanhamos, mas também não estava com o gás da última partida com o Coritiba. Chances perdidas, um esperando o outro chutar e sem planejamento que tenha funcionado, a não ser logo no primeiro minuto de jogo e no início do segundo tempo.

Já nos acréscimos, e a Torcida pelo Twitter já demonstrava que não tinha muita esperança nem com o empate, saiu o segundo do Corinthians, com Mateus Vital. Muita comemoração e um ótimo resultado de Mancini. Barroca bem que tentou, gritou e procurou dar um gás ao time, mas nada. Lá se foram mais três pontos. (fotos Celso Pupo)

Último de 2020

Como era o último jogo do ano por aqui, resolvemos dar mais uma olhada geral nos corredores e cantos do estádio. Andar por tudo vazio e silencioso é muito estranho. Bom, tudo é estranho, porque até conviver com delay de som de torcida a gente viveu. No jogo, o Botafogo manteve o som da Torcida, com aquele UHHHH um pouco atrasado.

Chuva misturada à ausência da Torcida transforma os estádios em lugares ainda mais inusitados. Barulho da chuva no teto, som dos radialistas transmitindo a partida, de vez em quando conseguir ouvir os gritos e alertas do time e até música “vamos virar Fogo”.

Não é um ano para que a gente ache que algo é normal. Nada é normal, mas temos que passar por ele e entender o que é possível fazer. Gestão de marketing esportivo pensou em alternativas? A internet algum dia será aberta nos estádios? Haverá igualdade de espaço para todos os tipos de imprensa? O tempo da pandemia poderia ter sido aproveitada para muitas reflexões, mas acho que isso não vai acontecer.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *