Lusa Vence Flu e Assume Liderança do Carioca

Facebooktwitterpinterest

Surpreendente. Assim foi a Portuguesa na tarde deste domingo, no Maracanã, diante do Fluminense, pela segunda rodada do Carioca 2021. A Lusa venceu por 3 a 0 e assumiu a liderança da competição.

O Fluminense ainda não pôde contar com o time principal, que está de férias, e o novo treinador, Roger Machado. No entanto, Ganso esteve em campo para ajudar a garotada a chegar a primeira vitória no Estadual. Mas, encontrou uma Lusa empenhada a adiar esse primeiro triunfo Tricolor.

Desde os primeiros minutos de jogo, o time da Ilha do Governador mostrou que, mesmo fora de casa, ia dar trabalho. O primeiro gol saiu ainda no primeiro tempo com Romarinho. O Fluminense esboçou uma reação e até teve boas chances de igualar o marcador. Porém, na volta do intervalo, a Lusa não deu chances e ampliou logo nos minutos iniciais, com Emerson Carioca. O Fluminense mal se recuperava do segundo gol sofrido e Chay marcou o terceiro, fechando o placar.

A volta e a estranheza no retorno ao Maracanã

Nós sabemos que, neste momento, é inviável os torcedores no estádio. Para o bem de todos. Mas quando chegamos no Maracanã e encontramos ele vazio, sem torcida, é um sentimento estranho. Estamos tão acostumados a vê-lo tão cheio de cores e de cantos que é bastante impactante.

Subir a rampa e andar pelos corredores vazios e ouvir apenas o barulho da chuva é muito, muito estranho. A sensação é de que está faltando algo. E, na verdade, está mesmo. Faltando quem faz ele pulsar, quem faz ele ser mágico e do jeito que nós amamos.

Tudo é diferente, principalmente para nós que acompanhamos cada detalhe antes mesmo da bola rolar.

A entrada do time em campo, que sempre vinha junto da “explosão” da torcida, se nós não ficarmos atentos até perdemos esse momento, pois não tem música do torneio, não tem cantos dos torcedores… Ah, e a volta do intervalo, que é de um “silêncio ensurdecedor”.

Por outro lado, as reclamações, os gritos e orientações dos jogadores dentro de campo são impossíveis de não ouvir. Dos dirigentes nas arquibancadas também. Até quando não há motivo para reclamar.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Patricia Bernardo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *