Flamengo 2 x 1 Portuguesa no Maracanã sem Público

Facebooktwitterpinterest

Tudo seria diferente, mas foi tudo muito diferente mesmo. Depois da decisão preventiva de Maracanã com portões fechados ao público a curiosidade era inevitável.

Antes de falar dos bastidores, é bom começar com o resultado do jogo, onde a Portuguesa ficou à frente do placar, com gol de Maicon, até os 41 minutos. Trocas e mudanças de Jorge Jesus, pressão do Flamengo – que não jogou bem – onde boa parte do segundo tempo foi dentro do campo da Portuguesa e dois gols da virada, com contra de Marcão, depois do chute de Vitinho (41’) e Arrascaeta (44’).

O Flamengo parecia desconectado enquanto a Portuguesa fazia de tudo já que existia a possibilidade de vencer o time que vem garantindo uma vitória atrás da outra. Nos minutos finais, o placar virou. (fotos de jogo, Celso Pupo)

Diferente, Muito Diferente

Tudo teve que ser readaptado nesta primeira partida sem público, para evitar a proliferação de novos casos do coronavírus. Cuidados necessários e que impactaram muito tudo o que gira em todo da partida.

Rampa monumental trancada foi um dos primeiros impactos visuais quando entramos no estádio. Aquele silêncio esquisito, mas necessário. Sem torcida, começamos a olhar mais detalhes ainda, como os seguranças posicionados perto de cada escanteio, virado pra arquibancada sem ninguém.

E quando a bola caída na arquibancada? Não tinha jeito, só abrindo a porta e entrar no setor inferior para resgatar a pelota.

O mais significativo, para mim, aconteceu com a falta da sinalização dos lances que é dada pela torcida. Na maioria das vezes ficamos na transmissão via Twitter com os olhos no celular e no computador e  se levantam toda vez que a torcida inflama, em um ataque, lance bonito etc. Lógico que isso não é 100%, mas acontece muitas vezes. E ai? Como faz? Assistir mais ao jogo. Logo hoje que foi bem devagar.

Bastidores da Imprensa

Durante a noite de sexta e no sábado, foram várias trocas de mensagens com informações que chegavam a partir de conversas entre clubes, associações e federação. A decisão final, a partir de uma solicitação do Fluminense e acatada por todos, era que não haveria nem entrevistas no campo nem coletiva.

No Rio, a imprensa pode entrar sem problemas e fazer o trabalho – diferente – e transmitindo as principais informações. Foi uma decisão importante, já que não aconteceu o mesmo em São Paulo, onde só os detentores de imagem puderam entrar. Medidas como nenhum espaço de convivência, orientações sobre postura da imprensa eetc aconteceu a partir das recomendações gerais.

Público e Renda

Calma, calma. Não teve público real, mas a movimentação no mundo digital foi incrível e perfeita para análises de quem gosta da área. Foi assim que Vinicius Paiva, economista, torcedor do Flamengo e que sempre avaliou números e dados (no antigo Bog Teoria dos Jogos) – @vpaiva_bj.

Pelo Twitter ele informou os picos de visitação que aconteciam no Youtube e Facebook, na transmissão da FLATV, e no site do GloboEsporte e Globoplay. Na postagem das 19:56, quase no fim do jogo – os números eram 940 mil no Youtube, 332 mil no Facebook e 287 no GloboEsporte. Monitorando a visitação no Youtube, ele mencionou que foi por pouco que a audiência não bateu o 1 milhão. Números muito expressivos que precisam ser avaliados.

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *