E Acabou o Rio Open 2020

Facebooktwitterpinterest

Tem cerca de duas horas que cheguei do Jockey Club, onde acompanhamos o último dia do maior torneio de tênis da América do Sul e já está dando saudades. Vamos ver o que aconteceu? Sempre com um olhar um pouco diferente. Começamos pelo Campeão do Rio Open, Cristian Garin, o chileno de 23 anos, que recebeu a premiação de R$ 1.561.487 e 500 pontos, ficando pela primeira vez entre os top 20 do ranking mundial.

Vamos aos Resultados

Teve muita comemoração e até cantoria na torcida: “Chi chi chi le le le”. Quem não lembrar desse grito na Copa do do Mundo?

Ele derrotou o italiano Gianluca Mager por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (3) e 7/5, em 1h35.  O super domingo, título que a organização deu em função da concentração de diversos jogos (em função da chuva) teve as duas finais – simples e duplas – e a continuação dos jogos das semifinais, adiados por causa da chuva no sábado. Garin, que conquistou o quarto título da carreira em um ano, venceu na semi o croata Borna Coric por 6/4 e 7/5.

O Público

Nos próximos dias, a organização deve passar novos dados, mas já adiantamos que o “super domingo” – como foi chamado esse último dia – foi de Quadra Gustavo Kuerten cheia. Falando dele, foi um alvoroço só quando ele entrou em quadra para assistir a final. O carinho que a gente tem por ele, é especial. Imaginem então quando ele saiu, por uma área que chega perto do público (é separado um espaço só para as crianças serem atendidas), foi uma gritaria só: Gugaaa, Gugaaa. Aliás, os torcedores também gritaram por ele, na final. Saudades de ver o jogo dele, mas a alegria continua no rosto, igualzinha.

 

O Diferente?

Lógico que sempre ficamos de olho em fatos diferentes e um deles, que chamou a atenção nas redes foi o penteado em forma de bola de tênis de um torcedor. Tivemos também sambinha ao som do pandeiro. Não conseguimos ver todo mundo, mas confirmamos a liberação do Mister Jorge Jesus, registrando Felipe Luis. Na mesma área da arquibancada, Marcão, do Fluminense. O torneio chama a atenção de diversos esportes e se depender de nós, vai sempre ter espaço especial nas coberturas.

Coletiva, Garin

O Campeão do Rio Open disse que foi um dos dias mais incríveis da vida dele. “Estou muito emocionado, foi uma semana incrível, especial, a mais importante da minha carreira, vou lembrar para sempre. Vencer aqui significa muito para mim, conquistar um torneio dessa magnitude me dá confiança para seguir em frente”

No final, fez o clássico registro das mãos para a galeria do Rio Open.

A Final de Dupla

Zeballos e Granollers ficaram com o troféu de duplas e foi um bom jogo de assistir, empolgando o público na quadra principal.

O argentino Horacio Zeballos e o espanhol Marcel Granollers eram os cabeças de chave número 3, e venceram os italianos Federico Gaio e Salvatore Caruso por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 5/7 e 10/7.

Foi o segundo título seguido da dupla – venceram em Buenos Aires há uma semana – e o primeiro no ATP 500 do Rio. No final, a clássica comemoração com muita champagne e o espanhol arriscou um português para agradecer o público. Imagina se não gostaram.

Até Breve

Já está dando saudades do Rio Open, por tudo o que envolve, da organização, passando pelas opções de lazer do público até à infra-estrutura de trabalho para os jornalistas. Falamos isso, porque o Rio Open sempre deu espaço ao FimdeJogo desde que pedimos o credenciamento pela primeira vez.

Temos o atendimento igual a todas as grandes emissoras. Talvez você ache que é normal, mas nós que batalhamos por cada espaço, sabemos o quanto isso é importante. Nosso agradecimento, em especial a Diana Gabanyi e Camila Coimbra.  (fotos Cris Dissat, do FimdeJogo, e FotoJump – oficial Rio Open).

 

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *