Jogo das Estrelas 2019

Facebooktwitterpinterest

Aconteceu neste sábado (28), no Maracanã, mais uma edição do já tradicional jogo das estrelas. Reunindo craques do passado e presente, além de várias personalidades, o evento organizado por Junior Coimbra, filho do Zico, é há muitos anos um sucesso de público no Rio de Janeiro. Em 2019 foram 62 mil pessoas presentes.

Essa edição do amistoso teve um sabor especial para os torcedores rubro-negros, já que a festa também homenageou as duas gerações campeãs da Libertadores pelo Flamengo (1981 e 2019).  Além dos craques da Gávea, marcaram presença no jogo outros grandes nomes do futebol, como Grafite, o atacante argentino Saviola, Renato Gaúcho, Obina e por ai vai.

Na Zona Mista

A imprensa ainda chegava devagar quando de repente um alvoroço e amontoado de repórteres se aglomera diante da maior estrela da festa, Zico. Atualmente morando no Japão, o Galinho mostrou bom humor ao conversar com a imprensa e atender pacientemente a todo mundo.

Fugiu do protocolo habitual, dando entrevista antes do jogo. Entre os assuntos abordados Zico comentou como foi a experiência de acompanhar a final do mundial de dentro de um avião, devido a compromissos com o Kashima Antlers (Japão). “Já foi tempo de ficar nervoso” afirma com bom humor.

Falando sobre a décima sexta edição do jogo das estrelas, o craque da Gávea comemorou a grande presença rubro negra na arquibancada, no entanto ressaltou que o Jogo das Estrelas é uma festa de todas as torcidas. “A comemoração é sempre do futebol e do Rio de Janeiro”.

Zico durante o Jogo das Estrelas do Zico realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ, na tarde deste sábado (28),

Fala, Nunes!

Conversando também com a equipe do FimdeJogo, Nunes, o lendário ex-centro avante Flamenguista. Autor de dois gols na final do mundial de 1981, o eterno artilheiro das decisões comentou sobre o Jogo e as diferentes gerações no Maracanã. ‘Vai ser um encontro legal.  Foi um grupo que trabalhou e buscou conquistar títulos’’, enaltecendo o Campeão de 1981.

Falando sobre a recente participação do Flamengo no Mundial interclubes, Nunes se mostra satisfeito com o desempenho da equipe rubro-negra e acredita que o time deve chegar ainda mais pronto para a próxima temporada. ‘’Faz parte de se tornar um vencedor  valorizar a vitória do adversário também. Você tem que saber perder para se tornar futuramente um grande campeão”, opina.

O Vilão, de Sempre

Em um jogo onde Zico era o incontestável herói protagonista, o papel de vilão, eleito pela torcida, ficou com Renato Gaúcho. Apesar de contar com uma boa passagem pelo rubro negro em seu currículo, o atual técnico do Grêmio era vaiado a todo minuto em que tocava na bola, muito devido a inflada rivalidade com o seu Grêmio, que se tornou ainda maior após provocações e declarações polêmicas de Renato na libertadores desse ano. Aliás, a vaia já virou tradição e ficou clara, o acompanharmos a fisionomia dele. Cada vaia, os jogadores provocavam, com risos do jogador. Faz parte do Jogo das Estrelas. (fotos Celso Pupo)

Hat Trick do Galinho

No entanto não faltaram gritos e aplausos aos jogadores mais identificados com o Flamengo, que eram maioria no evento. Lucas Paquetá tratou logo de acordar a torcida marcando dois belos gols. Mas o grande destaque do primeiro tempo não podia deixar de ser Zico.  O Galinho mostrou grande categoria pra marcar três gols ainda na etapa inicial e levar os presentes no Maracanã ao delírio.

Show de Luzes

Já no final da primeira etapa, a torcida se tornou parte do espetáculo, quando os presentes ligaram as luzes de seus celulares para tornar o Maracanã um cenário ainda mais belo.

Homenagem aos Ídolos

O intervalo da partida teve direito a homenagens a dois grandes ídolos rubro-negros, o lateral Júnior, e o Zagueiro Juan. Ambos revelados na gávea, além de marcarem época com a camisa do Flamengo, foram também peças importantes na seleção brasileira.

Obina é melhor que Eto’o?

Uma história a parte no jogo foi a participação do ex-atacante do Flamengo, Obina. O antigo goleador rubro-negro, veio do banco e conseguiu marcar um gol para o time vermelho, levando a torcida a entoar de maneira animada o canto: ‘’Ohh Obina é melhor que Eto’o’’, que criou para o atacante na década passada.

Resultado Final do Jogo das Estrelas

 Mesmo em um jogo animado e festivo não podem faltar os gols. E pelo menos nessa edição do jogo das estrelas eles vieram em peso. Com placar final de 9 x 5 para o time de vermelho, comando por Zico, os torcedores certamente puderam matar a saudade de ver os antigos ídolos estufando as redes.

*A Cobertura, nota da editora

Foi uma cobertura especial e agradecemos ao Junior Coimbra que possibilitou mais uma etapa do Projeto de Educação/Jornalismo do FimdeJogo com a Agência UVA (Universidade Veiga de Almeida, coordenação da Daniela Oliveira).

O texto do post é do aluno Felipe Pereira; a cobertura pelo Twitter @fimdejogoaguva, com Daniel Fernandes. Ainda da equipe do FimdeJogo, Patrícia Bernardo, no @equipefimdejogo; e Celso Pupo, fotografando no gramado.

Em 2020, o projeto continua com novas perspectivas para auxiliar a formação de novos estudantes de jornalismo, dentro desse mundo digital, que muda a cada momento. (Cris Dissat, editora do Blog e das mídias sociais do FimdeJogo).

Facebooktwitterpinterest

Post Author: Equipe Fimdejogo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *