Fluminense x Ceará

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Não era exatamente o jogo que estava programado pela Torcida do Fluminense. Um empate com o Ceará não foi bom para o tricolor, e com vaias no final do jogo. Antes de falar dos problemas, o bom foi ver que a Torcida começa a retornar aos jogos. Tivemos 23.484 presentes, 21.810 pagantes e renda de R$ 650.145,00. (fotos Celso Pupo)

Jogado Pedro do Fluminense

O problema foi além do empate  de 1 x 1, Pedro pelo Fluminense e Tiago Alves pelo Ceará.  Em geral, o pessoal  vaia aqui e ali, logo que acaba um jogo, principalmente quando vê que o time não rendeu como se esperava. Isso é normal. O pessoal respira, esquece e daqui a pouco melhora, e até consegue fazer isso ainda no Maracanã. O problema é não respeitar a vontade do outro de gostar ou não. Essa foi a encrenca no final da partida.

Já estava escrevendo o post, até mencionando a insatisfação do pessoal, quando começou uma confusão na arquibancada entre duas torcidas. Uma parte correu para os corredores externos e tivemos briga entre os torcedores.

Além desse problema, o VAR “causou” de novo. O torcedor agora fica esperando pra saber se comemora ou não, mas também surgiu a “comemoração VAR”, quando um gol que parecia válido é anulado. Imagina a cobertura hein. Agora só vai dar pra fazer tweet com delay.

O jeito é recomeçar a semana de novo e torcer para que o próximo jogo seja melhor.

Chegada dos Tricolores

Mais um horário não tão comum para os jogos do Brasileirão, ainda mais no retorno depois de um mês. Será que teríamos fila, os torcedores estariam de volta depois da mudança da politica do clube?

O jeito era ir pra rua para saber, mas ai veio a outra questão. Um aviso do Fluminense no grupo de setoristas informava que Nenê seria apresentado às 19h. E agora? O que daria pra fazer? Vocês bem sabem que nossa equipe é enxuta e só daria para uma escolha. Ao invés de decidirmos, resolvi colocar uma enquete no Twitter. Quase um “você decide”. Com 58% dos votos, venceu a cobertura na rua. O argumento mais forte dos torcedores foi que a coletiva todo mundo ia fazer, mas a rua… é nossa né. Mas não ficamos sem o registro do Nenê.

A escolha foi acertada porque foi possível ajudar o pessoal. Tivemos fila em todas as bilheterias e que cresciam rápido. Só para se ter uma ideia, a fila da bilheteria 3 chegava quase no acesso do Estádio Celio de Barros. As demais estavam do mesmo jeito. Mas vale comentar que muita gente deixou para decidir em cima da hora. O Fluminense tem um sistema de venda que usa o celular com QR Code para acesso ao estádio. Então, vamos programar melhor as coisas, não é?

Dessa vez, segue o vídeo com os arredores, que conseguimos editar ainda no primeiro tempo da partida (com o celular) e subir para nosso canal no Youtube.

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *