Copa América: Chile 0 x 1 Uruguai

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Um encontro entre o atual campeão da Copa América (Chile) e a equipe com maior número de títulos da competição (Uruguai), no Maracanã, é sinônimo apenas de uma coisa: grande jogo. E sabemos o que acontece em momentos assim: uma bela festa dos torcedores. Foi o que aconteceu, dentro do estádio e do lado de fora. Muito antes da Copa América começar já havia expectativa, principalmente, por conta do número de ingressos vendidos. No total, 49.275 estiveram presentes, com mais 8.167 de gratuidade (57.442 presentes – e renda de R$11.749.970,00). Agora, a organização poderia demorar só um pouquinho com as informações de público e renda no placar, né.

Partida equilibrada, com os dois times bem em campo, a Celeste venceu pelo placar de 1 x 0, gol de Cavani.   (Fotos Celso Pupo) 

Cavani Gomez comemora gol durante partida entre Chile x Uruguai, válida pela fase de grupos da Copa América 2019, realizada nesta segunda-feira (24) no Estádio do Maracanã em Rio de Janeiro, RJ.

Arredores do Maracanã

A cantoria no estádio começou cedo. Diferente do comportamento de outras torcidas latinas, os chilenos entraram no Maracanã bem antes da partida começar, e se divertiram mesmo sem o time em campo. Dançaram ao som de”Despacito”, gritaram o tão tradicional “Chi Chi Chi Le Le Le”. Teve até trilha sonora de Sandy & Junior no intervalo. Já torcida uruguaia, apesar de estar em grande número também, era mais contida que a do adversário. Trocaram os gritos por bandeiras e mensagens lembrando que a seleção uruguaia é a grande campeã da Copa América, com 15 títulos.

Quando a Bola Rolou 

A seleção do Chile foi a responsável pelo primeiro ataque do jogo, ainda nos minutos iniciais. Se sua torcida já não parava de cantar antes, só tiveram mais estímulo. Porém, o meio de campo do Uruguai estava atento, e soube travar o adversário em algumas tentativas de arrancada.

O Uruguai cresceu na partida, conseguiu furar a zaga chilena e quase abriu o placar aos 20 minutos, com Suarez. O time crescia e levava a torcida junto.

A evolução do Uruguai na partida pode até ter assustado a torcida chinela no começo, porém, não foi suficiente para deixá-los calados por muito tempo. No geral, a primeira etapa da partida foi equilibrada, com boas criações para os dois lados. Contudo, o grito de gol ficou guardado para após o intervalo.

Não havia nem um minuto do segundo tempo quando a seleção uruguaia arriscou um chute a gol do meio do campo, sem sucesso. Algum tempo depois, em uma batida de escanteio, mais uma chance foi parada pelo goleiro chileno.

Invasão de Campo

Quando o jogo estava no ápice, um torcedor entrou o campo. Sobrou para os seguranças pararem o rapaz, e tirarem de lá. Imagina se em algum momento isso não ia acontecer? Invasão  com direito a torcedor vestido de galinha hehe. Na verdade, uma máscara. Levou uma banda de um dos jogadores chilenos (desnecessário, né) e os seguranças pegaram e retiraram de campo, debaixo de muitos aplausos.

Mas além da invasão, também houveram problemas no setor Norte e Leste que não conseguimos identificar. Tentamos apurar e uma das coisas que descobrimos foi que um dos torcedores chilenos resolveu ficar de cabeça quente e estava doido pra arrumar uma confusão.

Chile e Uruguai na Copa América

Uruguai atingiu a marca de 200 jogos pela Copa América, neste jogo. Sendo assim, a primeira equipe a alcançar esse feito na competição.

Falar de Copa América e não falar das seleções do Chile e do Uruguai é como contar uma história sem seus principais protagonistas. Ambas as equipes tiveram participações marcantes e importantes durante a competição.

A seleção chilena é a atual campeã e levantou o título nas duas últias edições: em 2015, quando foi anfitriã, e em 2016 na disputa especial do centenário. Já a equipe do Uruguai é o maior campeão da Copa América, com 15 títulos e o ganhador da primeira edição realizada em 1916.

Aproveitando para agradecer a ajuda dos nossos super amigos Marcos Freitas e Daniele Carvalho, com a ajuda de sempre. (cobertura Taina Oliveira, Celso Pupo, Patricia Bernardo e Cris Dissat)

 

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Post Author: Taina Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *