Copa do Brasil: Botafogo 1 x 1 Juventude

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Foi por pouco. Chances perdidas, a falta daquela decisão e do chute.  E o pessoal saiu insatisfeito com o empate do Botafogo em casa com o Juventude. Vai ser difícil o jogo fora.

O primeiro tempo não foi bom no placar para o Botafogo. Gol do Juventude aos 19’ marcado pelo Paulo Sérgio. Mas veio o segundo tempo e o jogo estava com outra cara, mesmo com dois a menos. De vez em quando é bom. Foi um bate boca, empurra empurra, chega pra lá e vieram os cartões. Um expulso de cada lado. (fotos Celso Pupo)

O pênalti cobrado pelo Erik, e com força, renovou as energias da Torcida do Botafogo. Cantaram, empurraram o time e pressionaram o visitante. A reclamação geral veio depois do apito do juiz. Agora vamos combinar que se tem coisa ruim é cobrança curta de escanteio e jogada bonita ao invés de chutar logo e marcar o gol.

Erik comemora gol durante Botafogo x Juventude pela 3ª fase de grupos, da Copa do Brasil, realizada no Estádio Nilton Santos no Rio de Janeiro, RJ.

Outra coisa que é insuportável é a cera mal feita. Em uma das faltas, o jogador do Juventude socou tanto o gramado que deveria ter machucado a mão e não onde ele diz que foi. Mal saiu de maca, levantou rapidinho. Sem falar no goleiro. A situação ficou tão complicada que um acabou levando cartão deitado mesmo. Um monte de amarelos.

Nas arquibancadas um bom público com 21.839 presentes, 19.747 pagantes e renda de R$ 489.982,00.

Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Pode parecer pouco, mas ações como entrar no gramado, estar perto dos jogadores e viver um momento especial em um jogo representa muito. Sabemos bem disso porque em 2018 participamos da campanha do Dia Mundial do Diabetes com a ajuda dos clubes e o Botafogo foi um deles. Hoje foi a vez de pais e crianças autistas. Entrada em campo antes dos portões abrirem e depois com o time do Botafogo. Imaginem o que vai representar isso na vida deles?

Nosso registro e os parabéns ao Botafogo pela iniciativa de apoio a ONG União Carioca Autista.

Entorno do Nilton Santos

Mudanças na chegada e não foi em relação ao jogo. No trajeto que optamos, observamos que as sinalizações de indicação do estádio mudaram. As placas de Engenhão foram substituídas por Nilton Santos.

Na chegada, por volta das 19h40, o trânsito não estava muito ruim, mas lá para às 21h a coisa complicou nos acessos. Ouvimos muita reclamação de quem chegava. Complicada também estava a fila da bilheteria Norte, para os sócios torcedores. Bastante gente na frente do setor Leste e animados, com direito até bolo de aniversário.

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *