Brasileirão 2018: Vasco 0 x 1 Palmeiras

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Penúltima rodada do Brasileirão e o Palmeiras vence o jogo contra o Vasco, em São Januário, por 1 a 0. A Torcida Vascaína, mais uma vez, fez a parte dela, mas o time não rendeu o que precisava. Só que não dá para dizer que o Palmeiras jogou bem. Estava tranquilo demais na partida, mesmo com muitos erros.

A torcida cantou muito, principalmente no começo do jogo, mas era nítido que faltava alguma coisa e, várias vezes, observamos olhos grudados no gramado esperando aquele lance mais perigoso para se animar. Até o celular ficou meio esquecido. No início o Vasco fez pressão enquanto o Palmeiras acompanhava os lances.

Willian e Andrey durante Vasco x Palmeiras realizada no Estádio de São Januário, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro neste domingo (25) no Rio de Janeiro, RJ.

No final, saiu o gol de (27’) Deverson. O pessoal bem que esperou aquele empate no final da partida, mas não rolou. Palmeiras é o Campeão Brasileiro 2018.

Técnico Felipão durante Vasco x Palmeiras realizada no Estádio de São Januário, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro neste domingo (25) no Rio de Janeiro, RJ. (fotos Celso Pupo)

A Torcida compareceu de novo e foi um ótimo público com 21.966 presentes, 21.086 pagantes e renda de R$ 596.810,00.

Na entrada dos times, festa, muita música, fumaça e balões nas arquibancadas.

Chegada e Torcida em São Januário

Diferente de quase todos os últimos jogos, os torcedores entraram bem mais cedo no estádio. Antes das quatro da tarde já havia bastante gente nas arquibancadas. Acompanhamos até um pouco depois das quatro e meia, um dos acessos, a entrada e só um grande volume de gente, mas sem problemas.

Novamente se repetiu o esquema de segurança, dessa vez com uma fila sem ser utilizada no alto das arquibancadas. Não tivemos registros de problemas, o que é um alívio com tanta criança por lá.

Na saída, com a derrota, teve bate boca nas sociais, com gritos de apoio a Julio Brant e segurança entrando para tirar os mais nervosos. Mas ficou nisso, até onde acompanhamos.

 

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Post Author: Cristina Dissat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *